9.7.06

As aparencias enganam

Já ouvi muitos comentários sobre com quem Kate deve ficar, alguns dizem Sawyer porque ele é um bad-boy, outros dizem Jack porque ele é o herói. A minha opinião todos já sabem: Sawyer.


Mas por que ele? Bem, além do fato de que o amor não é um conto de fadas, Kate sempre parece mais livre e leve ao lado de Sawyer. E é assim que as coisas funcionam na vida real, você fica com aquele que te deixa à vontade, te apóia e está a seu lado nos bons e maus momentos. Com quem Kate dá as risadas mais gostosas? Quem está a seu lado quando ela se desentende com alguem (geralmente com o Jack)? SAWYER!

Independente de preferencias shipper, sempre vi Jack como um personagem solitário, assim como Locke ou Mr Eko. Sua vida antes do acidente se resumia em viver à sombra de alguém (o pai, a esposa que ele queria curar e proteger), e agora ele precisa aprender a pensar por si só, tomar decisões sozinho e não depender emocionalmente de ninguém.

Já com Sawyer ocorreu o contrário. Ele vivia o momento, sozinho, não tinha nada nem ninguém com quem se preocupar (incluindo a si mesmo). Ao cair na ilha, Sawyer ganhou uma chance de corrigir isso. Ele está descobrindo que ter alguém (amizade ou interesse amoroso) pode ser uma coisa boa. Ele se preocupa com Kate e só o fato de tê-la por perto faz com que sinta o desejo de libertar o bom homem que tem dentro de si, escondido desde o fatídico dia em que presenciou a morte dos pais com apenas 8 anos de idade.

E Kate? Ela sempre teve a ilusão de que os homens com cara de bom moço são perfeitos, graças ao relacionamento que tinha com Tom e seu suposto pai, Sam. Agora ela precisa descobrir que as aparencias enganam. Jack, o homem integro e politicamente correto está cada vez mais mostrando seu lado mandão e até certo ponto machista, a subestimando e ignorando em momentos dificeis. Sawyer, por outro lado, mostra-se cada vez mais compreensivo e prestativo, dando a atenção e respeito que ela tanto procura e merece.

Jack é o líder destemido, herói solitário que precisa desse distanciamento para se auto-conhecer. Sawyer é o anti-herói, o homem amargurado; Kate é a garota sofrida. Ambos precisam se sentir importantes e relevantes na vida de alguem, pois em suas mentes a mãe de Kate preferiu um marido alcólatra à filha e o pai de Sawyer não pensou no futuro do filho quando matou a esposa e se matou em seguida.

As Jaters que me perdoem, mas eu simplesmente não consigo ver a vibração entre Jack&Kate. E não estou falando da química entre os atores. Estou falando de todo o contexto, toda a trama... Sei que ambos sentem algo um pelo outro, só não acredito que esse algo seja amor, nem mesmo paixão.

Jack se sente atraído pela aura misteriosa e até certo ponto perigosa de Kate, ele inveja o fato dela ser um espirito tão livre. Kate por sua vez, idealisa Jack, projeta nele tudo que sentia por Tom. Ela ama o fato, a possibilidade de se apaixonar por um homem "perfeito", mas não ama o homem. O que a princípio os encanta acabaria, no decorrer do tempo, sendo o motivo da eventual separação.

Por outro lado, Kate não idealiza Sawyer, ao contrario, ela vê todas suas falhas, seus problemas, e mesmo tentando evitar, está cada vez mais se encantando com o homem que ele é.

E se me perguntarem na vida real se eu prefiro um Jack ou um Sawyer, a resposta é a mesma do começo desse texto: Sawyer. É mais complicado? Sim. Seria mais trabalhoso? Com certeza. Mas no fim das contas isso é o que torna todo o resto muito mais prazeroso. O que é melhor? Conter seus sentimentos e ficar com um cara perfeito ou ser você mesma e ficar com uma cara de verdade?

Um comentário:

cristianepf disse...

"[i](...)Jack, o homem integro e politicamente correto está cada vez mais mostrando seu lado mandão e até certo ponto machista, a subestimando e ignorando em momentos dificeis. Sawyer, por outro lado, mostra-se cada vez mais compreensivo e prestativo, dando a atenção e respeito que ela tanto procura e merece."[/i]

Perfeito, perfeito Leanna. Eu adoroooo o que tu escreve :D
E eu também escolheria o Sawyer. Prefiro a emoção. A química.