23.12.09

Paradinha basica em Sherwood

Cresci assistindo aos desenhos classicos da Disney, filmes de aventura e fantasia na Sessão da Tarde e seriados despretensiosos na extinta Sessão Aventura. É, tô ficando velha...

Como mitologias, lendas e contos de fadas no fundo tem sempre a mesma origem na cultura popular eu sempre gostei e ainda gosto de histórias assim, em especial algumas lendas britanicas como o Rei Arthur e Robin Hood. E sim, eu gosto das versões romanceadas, açucaradas e às vezes até alteradas pois o que vale pra mim é a essencia e a moral da história. Sou daquelas que até antes de Harry Potter se dirigia ao Allan Rickman como Xerife de Nottingham e ainda se lembra da letra do desenho da Disney *Robin Hood e seus amigos andam pelo bosque, rindo quando lembram do que já aconteceu; se divertem pra valer e não se preocupam, de uma boa briga nenhum deles já correu...* LMAO

Recentemente quando comecei a assistir Legend of the Seeker e Merlin notei no youtube, nos livejournals e foruns pela net afora que a maioria das pessoas que gostam de uma série também gostam da outra e ainda tem uma terceira série querida em comum: Robin Hood (2006-2008).

A principio fiquei com o pé atras e até um pouco indignada com os comentarios que vi sobre essa série (Maid Marian morrendo no final da 2ª temporada só pra citar o mais polêmico) e por isso estava decidida a não me dar ao trabalho de baixar o seriado. Mas a curiosidade foi falando cada vez mais alto conforme eu me aprofundava nos fandoms de Merlin e LotS e mais via videos, icons, fanfics e afins interligando as 3 séries, até que não resisti e comecei nesse final de semana a baixar a tão comentada Robin Hood da BBC.

De imediato entendi porque tantas pessoas relacionam essas 3 séries, são todas farinha do mesmo saco e como o que me interessa é a história e acima da história o feeling da série, acabei de adicionar mais uma à minha listinha de séries favoritas (entenda-se por séries favoritas todas aquelas que eu tive ou tenho paciencia de assistir do primeiro ao ultimo episodio).

Só que dessa vez não fiquei empolgada pra convencer os outros a assistirem também. Não sinto Robin Hood como um guilty pleasure mas ao mesmo tempo tenho a plena consciencia de que poucas pessoas achariam graça ou entenderiam o que eu vejo de tão interessante nessa série. É como O Mundo Perdido, ou você ama com todos os defeitos e qualidades ou você odeia porque não consegue ver as qualidades através das falhas comuns a qualquer série despretenciosa.

Tô adorando todos os personagens e amando odiar o Xerife que consegue ser mais insano que a versão do Allan 'Snape' Rickman mas o que me cativou mesmo foi o Robin que é um tremendo cara de pau, cinico, charmoso e petulante e a Marian que não fica atras, faz pose de boa moça mas com sua teimosia e determinação nas 'horas vagas' veste uma mascara e sob a alcunha de Night Watchman ajuda os necessitados.

É verdade, Marian foi morta no final da 2ª temporada e isso foi o que mais me deixou indignada antes de começar a assistir a série, mas spoilerwhore como sou, antes de começar a baixar procurei saber como a série termina e já que termina com Robin também morrendo e reencontrando Marian em espirito, o que não deixa de ser um final feliz apesar de bittersweet, decidi que valia a pena dar uma chance e aqui estou, encantada com mais um seriado, pra variar, de aventura e fantasia =)~

13.12.09

So Long, Goodbye [Merlin/Morgana]

Ok, ainda tô com mixed feelings em relação ao episodio de ontem de Merlin e espero fazer sentido nesse post...

Apesar das coisas entre Merlin e Morgana terem terminado bem mais triste e angst do que eu imaginei que seria, fiquei feliz com o jeito como tudo aconteceu.

De certa forma foi como eu "previa": manipulações dos druidas e da Morgause levando Morgana a acreditar que pertencia ao lado dos seguidores da antiga religião, ajudando-os a entrar em Camelot para destruir Uther, manipulações do dragão que disse a Merlin que a unica forma de salvar Camelot e Arthur era com a morte de Morgana e uma série de mal-entendidos que fizeram com que Merlin acreditasse nas palavras do dragão de que Morgana estava não apenas disposta como também ajudando ativamente Morgause com feitiços quando na verdade Morgana ainda estava em cima do muro e precisando apenas de alguem em quem confiar em Camelot pra não ir de vez pro dark side.

O que gostei foi que apesar de tudo nem Merlin nem Morgana ficaram com suas reputações manchadas, é impossivel culpar ou ter raiva de qualquer um dos dois pois fica claro o tempo todo que ambos estão sendo manipulados e acreditado estar fazendo a coisa certa por mais doloroso que seja para eles e para os outros.

A cena final dos dois foi triste mas foi também poetica, impossivel não chorar junto com Merlin e querer agarrar e tentar salvar Morgana, tudo ao mesmo tempo. É claro que ela não morreu, Morgause vai dar um jeito de salvar a irmã, mas a Morgana como conheciamos na 1ª e metade da 2ª temporadas, essa sim se foi por se sentir traida e abandonada e não por ser simplesmente má. A velha Morgana se foi, mas foi com dignidade.

6.12.09

Merlin's Ships

Como eu já tinha dito antes, não sou expert nem em cultura celta e nem nas lendas Arthurianas, sou apenas uma curiosa que por acaso gosta desse tipo de coisa e sendo assim, não tenho nenhuma versão predileta da história do rei Arthur e nem o conceito de versão "certa" e versão "errada". Digo isso porque uma das coisas que mais vejo são pessoas comparando Merlin com outras versões da lenda, principalmente com as Brumas de Avalon que muitos consideram erroneamente ser a versão mais verdadeira.

Desde o começo os produtores de Merlin disseram que uma das fontes de inspiração da série era a mesma idéia de Smallville de mostrar como aquela pessoa virou um mito e isso quer dizer que obviamente mudanças seriam feitas pra trazer as lendas do rei Arthur para uma linguagem dos dias de hoje.

Ok, mas eu ía falar de ships. Pelo menos dos meus dois ships prediletos... e fadados ao fracasso.

*Mergana*

Quando Merlin chegou em Camelot e descobriu que ali magia era algo fora da lei não teve outra escolha a não ser esconder sua condição de feiticeiro, mas isso nunca o impediu de ajudar quem quer que fosse com seus poderes na medida do possivel e com seu jeito meio atrapalhado acabou conquistando a simpatia e amizade de Gwen, Morgana e Arthur (apesar dele estar longe de admitir, é claro).

Desses 3, Morgana é a unica com quem Merlin realmente tem algo em comum: a magia. Porém, durante muito tempo Morgana não sabia que tinha poderes e quando descobriu recentemente passou a viver com medo de que seu protetor, o rei Uther, descobrisse e a mandasse pra fogueira ao mesmo tempo que cada vez mais cresce seu desgosto pelas medidas extremas que Uther toma em relação a magia e pelo fato de Arthur não se opor com mais firmeza contra o pai. Juntando a isso tudo Mordred, o garotinho druida com quem ela sente uma estranha ligação e sua meia irmã Morgause que cresceu entre o povo da antiga religião e quer vingar-se de Uther e Camelot, não é dificil de se imaginar qual será o fim de Morgana: unir-se aos druidas e levada pelas idéias distorcidas de Morgause e Mordred voltar-se contra Camelot.

E lá se vão as chances que eu tinha de ver alguma coisa acontecer realmente entre Merlin e Morgana, mas a verdade é que isso não me incomoda pois a graça é justamente ver como essas duas pessoas que um dia tiveram uma amizade e admiração mutuas vão terminar em lados opostos sem exatamente brigarem ou se odiarem, simplesmente seguindo caminhos diferentes.

E como bonus, me parece que de certa forma transferiram uma versão da lenda de Merlin e Viviane (ou Nimue) para Merlin&Morgana: Viviane era uma jovem interessada em aprender a magia de Merlin que por sua vez se apaixonou por ela e acabou deixando que esse amor não correspondido se tornasse sua ruina. Na série, Merlin claramente sente algo mais que amizade por Morgana e se recusa a acreditar nos avisos do grande dragão de que a aproximação dela e Mordred trarão no futuro a morte de Arthur.

*Arwen*

Arthur é o filho unico de Uther Pendragon, principe de Camelot e melhor guerreiro do reino. Apesar do jeitão arrogante é justo, benevolente e não compartilha com o pai o odio pela magia, mas ao contrario de Morgana sempre pensa duas vezes antes de desobedecer as ordens do rei. Apesar de não admitir, Arthur tem uma relação de amizade muito forte com seu criado Merlin mesmo sem saber que o destino de ambos sempre esteve entrelaçado.

Gwen (diminutivo de Guinevere), é a criada de Morgana, filha de um ferreiro erroneamente acusado de bruxaria e condenado a morte por Uther. Foi a primeira pessoa 'da turma' a falar com Merlin e logo ficaram amigos por serem criados do castelo e um pouco atrapalhados. Apesar de justa e honesta Gwen é timida e delicada e só passou a ser notada por Arthur depois que Merlin chegou ao reino e de certa forma uniu o quarteto (Merlin, Gwen, Arthur e Morgana). Quando o plebeu Lancelot chegou a Camelot para tentar se tornar cavaleiro, deixou Gwen encantada mas partiu logo em seguida para encontra-la por acaso algum tempo depois e novamente ir embora, dessa vez por perceber que ele e Arthur estavam apaixonados pela mesma garota. Quanto mais se aproxima de Arthur e mais o influencia com sua bondade e seu senso de justiça, mais Gwen se encanta pelo principe e futuro rei de Camelot.

Ao contrario das outras versões onde Guinevere é uma lady ou uma princesa linda e loira (bom, nem sempre loira, mas enfim... *lol*), a Gwen de Merlin é uma plebeia negra. Só isso já me bastaria pra torcer por essa versão arthuriana de Pra Sempre Cinderela, mas além disso tem o fator romance impossivel que eu tô amando no momento (vide Richard&Kahlan), o fato de que como já sei que no futuro ela vai ficar com o Lancelot acho que o Arthur tem que ser feliz um pouco agora... e eu não resisto quando ele a chama pelo nome inteiro "Guineveeere".

E aí é que tá uma coisa que me incomoda imensamente no fandome brasileiro de Merlin: o preconceito de muita gente em relação a Gwen. Nessa hora muitos daqueles que reclamam que a série não está seguindo as lendas ao pé da letra se esquecem dessas mesmas lendas e só sabem se perguntar como Arthur consegue ficar correndo atras de uma criada feia quando poderia tem uma lady gostosa. A Gwen de Merlin pode não ser a Keira Knightley mas não é feia pro padrão britanico e estamos falando de uma série da BBC...

Videos:



20.11.09

Kahlan Amnell

Kahlan Amnell é uma das personagens principais de Legend of the Seeker, interpretada por Bridget Regan. O seriado é baseado na série de livros Sword of Truth de Terry Goodkind.

All of my life I was in hiding.

Wishing there was someone just like you.

Now that you're here, now that I've found you,

I know that you're the one to pull me through.

Deliver Me, Sarah Brightman

Kahlan nasceu e cresceu em Midland, um lugar regido pelo tirano Darken Rahl onde a magia é coisa comum e onde existe a lenda de um herói que emerge em tempos de dificuldade e sofrimento para caçar o mal. Quando surge, essa pessoa é nomeada Seeker e passa a ser sempre acompanhado por um mago e uma Confessora.

Depois de 1.000 anos surge um novo Seeker, Richard Cypher, e dessa vez a confessora que deverá acompanha-lo é Kahlan.

Confessora é uma mulher com o dom de hipnotizar e escravizar alguém com apenas um toque, além de saber se uma pessoa está mentindo ou dizendo a verdade e isso acaba tornando essas mulheres temidas e respeitadas nas terras mágicas de Midlands. Mas como nem tudo é perfeito, uma Confessora está sempre controlando seus poderes e sendo assim não pode se relacionar intimamente com ninguém, pois perde esse controle e sem querer confessa a pessoa.

Kahlan foi escolhida pelas poucas confessoras ainda vivas para ser a Mother Confessor, líder das confessoras e uma das forças regentes mais importantes de Midland. Além disso Kahlan é uma confessora poderosa, capaz de invocar instintivamente o Con Dar (quando uma confessora está nesse estado aumenta sua força e o alcance dos seus poderes confessando alguém sem sequer tocar na pessoa), é excelente em combate e eximia com adagas.

Mas apesar de todos esses poderes e habilidades, o maior dom de Kahlan é a sua personalidade. Inteligente, esperta, determinada, carinhosa, altruísta e acima de tudo forte física e psicologicamente, Kahlan é descrita pelo produtor Rob Tapert como uma heroína feminina e implacável.

Quando uma Confessora é ‘designada’ a seguir um Seeker ela passa a agir como braço direito e ‘guarda costas’ do Seeker, além de desenvolver uma ligação muito forte com ele. ...e essa ligação entre Richard e Kahlan acabou se tornando mais forte do que esperavam. Os sentimentos de Richard e Kahlan são tão genuínos, incluindo grande respeito e admiração mútuos, que Kahlan não consegue sequer cogitar a idéia de Richard perder a sua 'alma' por causa dela e Richard não aceita que Kahlan se desfaça dos seus poderes, de parte dela, para que possam ficar juntos. Sabendo quão importante é a missão que tem pela frente e totalmente comprometidos, ambos se dispões a “sofrer em silencio” sacrificando o que for preciso pelo bem maior que é livrar o povo de Midland dos males que os cercam.

Curiosidades dos livros:

* Kahlan é a ultima confessora viva

* no final do primeiro livro (ao todo são 11) ela e Richard descobrem uma forma de ficarem juntos

* Terry Goodkind afirmou que a idéia dos livros surgiu a partir do personagem da Kahlan


- Wikipédia

- Deliver Me (mp3)

- Invisible touch (fanvid)

Morgana Le Fay

Morgana é uma das personagens da série Merlin, que reconta a história do rei Arthur sob o ponto de vista do mago Merlin ainda jovem. É interpretada pela irlandesa Katie McGrath.

"One day you will see

Another side of me

My life I command

It's not the way that you planned"

Leave me alone, The Corrs

Quando o pai de Morgana estava a beira da morte, o rei Uther Pendragon prometeu que cuidaria de sua filha e assim Morgana passou a viver em Camelot como protegida do rei e irmã do príncipe Arthur com quem vive horas entre provocações e horas se preocupando e cuidando um do outro.

Morgana desde pequena sofria de terríveis pesadelos que apesar de tratados por Gaius, o médico da corte, se intensificaram com o tempo a ponto de tornar claro que ela possui o dom da profecia e provavelmente seja também uma feiticeira, o que a deixou apavorada a principio pelo fato de Uther abominar qualquer forma de magia e dons sobrenaturais a ponto de executar qualquer pessoa que os use em Camelot, fato que Morgana sempre desaprovou e contestou mesmo antes de saber que ela própria tinha poderes especiais.

Apesar de ser conhecida por seu grande coração, quando Uther ordenou a morte do pai de Gwen, acusado falsamente de usar magia, Morgana ficou tão enfurecida que planejou o assassinato de Uther, mas desistiu quando ele (sem saber dos planos dela) pediu-lhe perdão pela falha que cometera.

Outra prova de como Morgana não se importa com as aparências e vê Gwen e Merlin como grandes amigos apesar de ambos serem criados do castelo, foi quando uniu-se a Arthur e Gwen para, contra a vontade de Uther, ajudarem Merlin a livrar seu vilarejo de saqueadores. Com Gwen conseguiu convencer Arthur a deixar as mulheres lutarem e se mostrou uma hábil espadachim, tendo aprendido a lutar com o próprio Arthur, melhor cavaleiro do reino.

Sobre as lendas:

Morgana Le Fay (fay=fada) era uma poderosa feiticeira das lendas Arthurianas, meia irmã de Arthur por parte de mãe (filha do primeiro casamento e Arthur do segundo) e frequentemente associada à ilha de Avalon.

À principio Morgana não tinha grande função nas lendas e só séculos mais tarde começou a ser ‘pintada’ como antagonista do rei Arthur e da rainha Guinevere. Nessas versões ela é descrita seduzindo o irmão e em seguida usando o filho de ambos, Mordred, como marionete para destruir o reinado de Arthur. Porém nas lendas tradicionais Mordred é filho de uma irmã de Morgana chamada Morgause e Morgana por sua vez é casada com o rei Urien e mãe de sir Ywain, um dos cavaleiros da Tavola Redonda.

Nos últimos anos, algumas feministas adotaram Morgana como representante do poder feminino graças a romances franceses que a descrevem como uma figura benevolente e de grandes poderes curativos, o que também levou-a a ter um papel maior nas versões feministas das lendas Arthurianas como As Brumas de Avalon.

Curiosidades:

* no episodio "The Beginning of the End" (O Começo do Fim) Morgana esconde em seus aposentos um garoto druida chamado Mordred que está sendo perseguido por Uther e o Grande Dragão diz a Merlin que esse garoto futuramente será o responsável pela morte de Arthur.

* Nimueh foi a grande vilã da 1ª temporada de Merlin e em algumas lendas Morgana é confundida com ela (que também é chamada de Viviane ou A Dama do Lago) que era aprendiz e grande paixão de Merlin.


- Wikipedia

- Leave me alone (mp3)

- Morgana Le Fay (fanvid)

- Morgana-Morgaine-Morgan Le Fay (fanvid)

Marguerite Krux

Marguerite Krux é uma das protagonistas da série de aventura e fantasia O Mundo Perdido, baseada no livro de sir Arthur Conan Doyle. Era interpretada pela atriz australiana Rachel Blakely.

So, by keeping her heart protected

She'd never ever feel rejected

Little Miss Apprehensive

Said ooh, she fell in Love

Miss Independent, Kelly Clarkson

Marguerite nunca conheceu seus pais e foi criada em pensionatos, tendo ótima educação e nenhum amor, o que fez dela uma mulher rica, misteriosa e sem nenhum escrúpulo.

Possui vasto conhecimento sobre muitos assuntos, tem uma habilidade extraordinária com línguas e entre seus mistérios estão o fato de que já foi ladra de jóias e agente secreta britânica durante a guerra.

Marguerite financiou a expedição do prof. Challenger para uma parte remota da Amazônia com a condição de participar dela. A principio acreditava que sua motivação para financiar a expedição era seu desejo de encontrar pedras preciosas, mas na verdade era algo que ela não sabia explicar nem controlar. Era como se toda sua vida houvesse sido preparada para essa viagem ao Mundo Perdido.

Durante a 3ª e ultima temporada da série, Marguerite descobriu que era a reencarnação de uma sacerdotisa druida chamada Morrighan e se houvesse uma 4ª temporada já estava programado para que fosse revelado que Marguerite era também descendente da linhagem de Mordren (forças opositoras aos protetores do platô) e sendo assim seria um agente livre podendo escolher entre o bem ou o mal na eventual guerra pelo domínio do platô e acabaria escolhendo o bem graças ao lord John Roxton.

Marguerite e Roxton foram feitos para estarem juntos desde o início pois o papel de Roxton nessa vida era de proteger e guiar Marguerite para o “lado bom da força”, papel que se originou pelo fato da casa de seus ancestrais ser próxima de Avebury, cerca de 20km de Stonehenge.

Por causa da herança celta de Marguerite como descendente de Mordren e Morrighan e de Veronica como descendente do povo de Avalon (protetores do platô), as duas que não se aturavam no começo da série e na verdade eram opostos complementares em atitudes e crenças, na verdade são primas e almas irmãs.

Curiosidades:

* Avalon é uma ilha das lendas celtas onde dizem que foi forjada a espada Excalibur e para onde o rei Arthur foi levado mortalmente ferido após sua ultima batalha

* Morrighan é o nome de uma deusa celta da guerra e da soberania

* Mordren é uma variação do nome Mordred, que foi o responsavel pela morte do rei Arthur; em algumas lendas ele é descrito como sobrinho de Arthur e em outras como filho dele com sua meia-irmã Morgana.

* Stonehenge é um misterioso circulo de pedras que existe no sul da Inglaterra e que as lendas costumam associar aos druidas (sacerdotes e filosofos do povo celta)


- Wikipedia

- Miss Independent (mp3)

- Killer Queen (fanvid)

- Bad Reputation (fanvid)

19.11.09

Beth Turner

Beth Turner é uma das protagonistas da série de romance sobrenatural Moonlight, interpretada pela atriz britanica Sophia Myles.

I never thought you'd get here

Why did you make me wait?

But when I looked into your eyes

I recognized you were my fate

My idea of heaven, Leigh Nash

Beth é uma das melhores repórteres do site Buzzwire, especializada em casos policiais e/ou bizarros.

Teimosa e determinada, apesar do bom humor que é sua marca registrada, Beth passou anos atormentada por um fato ocorrido em sua infância, um seqüestro cuja única coisa que se lembrava era de um homem a salvando da seqüestradora durante um incêndio.

Quando por acaso conheceu o detetive particular Mick St John sentiu de imediato uma forte ligação com ele e logo em seguida descobriu que ele era um vampiro, mas ao contrario do esperado, Beth se aproximou ainda mais de Mick com quem passou a investigar casos envolvendo vampiros e desenvolveu uma relação platônica, pois tinha um namorado, Josh, e Mick tinha receio de que poderia ser perigoso para ela namorar um vampiro.

Depois de algum tempo Beth descobriu que o homem que havia a salvo do seqüestro era Mick e que a seqüestradora era a ex-mulher dele, Coraline e novamente demonstrando sua sensatez e eterno otimismo, Beth ao invés de se afastar se aproximou ainda mais de Mick e de outros vampiros como Josef, melhor amigo de Mick.

Após a morte de Josh e de sua editora chefe, Beth deixou o Buzzwire para trabalhar como investigadora para o procurador Ben Talbot e finalmente iniciou um romance com Mick.

- Wikipedia

- My idea of heaven (mp3)

- Let it go (fanvid)

Isabel Evans

Isabel Amanda Evans é uma personagem do seriado sci-fi Roswell, baseado na série de livros Roswell High de Melinda Metz e era interpretada pela atriz Katherine Heigl.

This is the story of a girl,

Who cried a river and drowned the whole world!

And while she looked so sad in photographs,

I absolutely love her,

When she smiles...

Absolutley (story of a girl), Nine Days

Isabel é um ser hibrido (metade alien e metade humano) que foi encontrada aos 6 anos de idade com o irmão Max vagando pelo deserto nos arredores de Roswell,NM pelo casal Philip e Diane Evans que os adotaram.

Ela cresceu como a típica garota popular do colégio: bonita e invejada, conhecida por todos, namoradeira... Mas por baixo dessa fachada escondia uma garota carinhosa, insegura, superprotetora daqueles que ama e que tinha o único desejo de se ajustar e ser normal como os outros.

Apesar da fama com os rapazes, Isabel só amou realmente duas pessoas: o musico e amigo Alex Whitman, que morreu pouco depois de começarem a namorar, a deixando devastada e o advogado Jesse Ramirez com quem se casou contra a vontade dos pais por causa da diferença de idade entre os dois (Isabel tinha 18 e Jesse 26).

A habilidade especial de Isabel é o dreamwalk, que consiste basicamente em concentrar-se na imagem de alguém em uma foto e assim entrar em seus sonhos e pensamentos, às vezes apenas como espectadora e outras como parte ativa dos sonhos.

Vida Passada

Isabel era uma princesa chamada Vilandra que apesar de prometida a Rath, segundo no comando e melhor amigo de seu irmão Zan, mantinha um relacionamento secreto com Khivar que a usou para se aproximar do rei e usurpar-lhe o trono. Durante a guerra que se seguiu, os 4 Nobres (Vilandra, Rath, Zan e sua esposa Ava) foram mortos mas em seguida clonados como híbridos e enviados para a Terra na esperança de que um dia pudessem voltar e libertar Antar do tirano Khivar.

Curiosidades dos livros:

* Isabel era líder de torcida

* namorou um alien bad boy chamado Nicholas que odiava humanos e foi morto pelo xerife Valenti

* tinha aura roxa escura e exalava um aroma de canela


- Wikipedia

- Absolutely (Story of a Girl) (mp3)

- Here she comes (fanvid)

Lois Lane

Lois Joanne Lane é uma personagem de HQs (história em quadrinhos) da editora DC Comics, conhecida como eterna namorada ou amor platônico de Superman.

"Always up for a laugh, she's a pain in the arse

Every time that we meet, I skip a heartbeat"

Heartbeat, Scouting for Girls

Filha do general Sam Lane, Lois possui treinamento de combate corpo-a-corpo e é uma ótima investigadora. Perdeu a mãe ainda muito cedo, aos quatro anos, o que fez com que tivesse que cuidar de sua irmã mais nova Lucy Lane.

Não tinha nenhum interesse em jornalismo mas acabou tomando gosto pela profissão ao investigar a suposta morte da prima Chloe no final da 3ª temporada de Smallville.

Como repórter do jornal Planeta Diário é conhecida por sua personalidade forte. É impulsiva, sarcástica e independente, mas também tolerante e amável.

Outras mídias e Curiosidades:

* Lois fez sua primeira aparição juntamente com o personagem principal, Superman, na revista Action Comics #1, em junho de 1938.

* Noel Neil e Kirk Alyn (Lois e Clark na série de TV de 1948) participaram do filme estrelado por Christopher Reeve, interpretando os pais de Lois Lane.

* Além de aparecer em Superman The Animated Series (1996), Lois também faz participações nos desenhos Liga da Justiça e Liga da Justiça Sem Limites, onde é dublada pela atriz Dana Delany.

* Margot Kidder estrelou a superprodução Superman (1978) ao lado do ator Christopher Reeve e os filmes seguintes (Superman II, Superman III e Superman IV). A atriz também fez uma pequena participação em Smallville, no papel da Dra. Brigetty Crosby, assistente do Dr Virgil Swan, interpretado por Christopher Reeve.

* De 1993 a 1997 Teri Hatcher interpretou a famosa repórter do Planeta Diário na série Lois&Clark: As Novas Aventuras do Superman, que mostrou de forma mais profunda o triângulo amoroso Clark/Lois/Superman.

* Lois casou-se com Clark/Superman em 1994 tanto nos quadrinhos como na série Lois&Clark.

* Em 2004, Lois Lane foi incluída em Smallville, interpretada pela atriz Erica Durance.

* Em Superman Returns Lois Lane, interpretada por Kate Bosworth, tem um filho de Clark (Brandon Routh) e está noiva de Richard White (James Marsden).

- Wikipedia

- Heartbeat (mp3)

- Single (fanvid)


Nota: apesar de não assistir Smallville há um bom tempo sempre acabo usando fotos da Erica Durance porque acho que de todas as versões live action, ela é a que melhor conseguiu personificar a Lois dos quadrinhos.


18.11.09

Kate Austen

Katherine Anne Austen, mais conhecida como Kate, é a principal personagem feminina do seriado Lost, interpretada pela atriz Evangeline Lilly.

"This girl has got stronger

And if I knew then what I know now

I would have told myself

Don't worry any longer, it's ok"

Freckles, Natasha Bedingfield

Kate nasceu em Iowa onde foi criada pela mãe Diane (garçonete de um pequeno restaurante) e Sam (soldado do exército americano e veterano da Guerra do Golfo), que ela acreditava ser seu pai. Quando se divorciaram, Diane casou-se com um alcoólatra abusivo chamado Wayne com quem já mantinha um relacionamento e que mais tarde Kate descobriu ser seu pai biológico. Tornou-se fugitiva depois de explodir a casa de sua mãe com o pai dentro e depois de algum tempo foi pega na Australia pelo agente Edward Mars que estava a escoltando de volta para os EUA quando sofreram o acidente com o vôo 815 da Oceanic Airlines.

Na ilha Kate ficou muito próxima de Jack e a principio se mostrou simpática e solicita com todos, sempre disposta a se embrenhar na mata ou escalar alguma colina para ajudar a tentarem conseguir um resgate. Depois de algum tempo e de terem descoberto seu passado criminoso começou a viver um relacionamento conturbado com o trambiqueiro Sawyer.

Quando saiu da ilha junto com Jack, Hurley, Sun, Sayid e Aaron, que ficaram conhecidos mundialmente como os Oceanic 6, Kate foi a julgamento pelo assassinato de Wayne, conseguiu um acordo de 10 anos sem sair do estado, adotou Aaron e tentou durante um curto período de tempo viver com Jack de quem se afastou ao perceber que ele estava começando a agir como Wayne.

Agora Kate retornou à ilha com o resto dos Oceanic 6 (menos Aaron que ficou com a avó Carole) para encontrar Sawyer vivendo com Juliet que morreu no final da ultima temporada depois de terminar tudo com Sawyer afirmando que não poderia ficar entre ele e Kate.

- LOSTpedia

- Freckles (mp3)

- Kate's got a gun (fanvid)

11.11.09

She's So High (Merlin/Morgana)

She's blood, flesh and bone
No tucks or silicone
She's touch, smell, sight, taste and sound

But somehow I can't believe
That anything should happen
I know where I belong
And nothing's gonna happen
Yeah, yeah

(Chorus):
'Cause she's so high...
High above me, she's so lovely
She's so high...
Like Cleopatra, Joan of Arc, or Aphrodite
She's so high...
High above me

First class and fancy free
She's high society
She's got the best of everything

What could a guy like me
Ever really offer?
She's perfect as she can be
Why should I even bother?

(Repeat Chorus)

She comes to speak to me
I freeze immediately
'Cause what she says sounds so unreal

But somehow I can't believe
That anything should happen
I know where I belong
And nothing's gonna happen
Yeah, yeah
Yeah, yeah

(Repeat Chorus)

4.11.09

Enquanto isso em Camelot...

Há algum tempo atras, pesquisando sobre cultura celta (que admiro mas admito só conhecer a ponta do iceberg) fiquei sabendo de uma série da BBC chamada Merlin que a principio me deixou curiosa e animada com a idéia de ver a mitologia Arthuriana contada em um seriado de tv, mas logo em seguida vi algumas pessoas criticando a série por não seguir a risca as lendas do Rei Arthur, acabei desanimando e não baixando o seriado.

Mas como quando tem que ser, acontece, descobri Legend of the Seeker, comecei a procurar informações sobre a série e notei que é unanimidade: quem gosta de LotS gosta de Merlin. Então respirei fundo, peguei o link do primeiro episodio, baixei e me arrependi... de não ter feito isso antes!

Realmente a série não é uma cópia exata das lendas Arthurianas originais começando pelo fato de Merlin ter a mesma idade de Arthur que ainda é um jovem principe e não o rei de Camelot ou de Guinevere ser criada de Morgana e não uma nobre e segue as versões mais conhecidas das lendas, mas verdade seja dita, pra histórias que já foram recontadas, adaptadas e alteradas milhares de vezes (só pra citar alguns exemplos: A espada era a lei, As Brumas de Avalon, Lancelot, Rei Arthur, Tristão&Isolda, Pé na Jaca...) o que é uma versão a mais ou a menos?

Quando vi logo no começo do episódio a jovem Morgana discutindo com seu protetor e pai
de Arthur, rei Uther, já fui conquistada pela série. A história pode não ser exatamente igual a original mas os personagens são os mais fieis possivel. Morgana tem a mesma atitude acertiva e por vezes petulante da poderosa feiticeira que a originou, Gwen (diminutivo de Guinevere) mesmo sendo apenas filha do ferreiro é delicada e recatada como uma verdadeira dama, Arthur adora a boa vida de principe, apronta aqui e ali e não perde uma chance de sacanear com Merlin mas quando vê seu pai cometendo alguma injustiça (o que acontece com muita frequencia, já que Uther odeia magia a ponto condenar à morte quem pratica-la) vem a tona o Arthur bondoso, honrado e justo que conhecemos das velhas lendas. E Merlin, o protagonista? Não poderia ser mais perfeito! Ainda jovem e já com aquele senso de humor, determinação e orgulho de sua magia que todo mundo conhece e que serve de inspiração até hoje pra personagens como Gandalf, Dumbledore, Zedd e etc. Isso tudo sem contar as participações exporadicas de outros personagens mitologicos como Lancelot, Mordred e Nimueh (também conhecida como Viviane ou Dama do Lago).

Outra coisa que me cativou foi o fato da produção ser da BBC, ou seja, 100% britanica. O estilo é completamente diferente do americano desde os figurinos e cenarios até o padrão de beleza dos atores. Me delicio ouvindo aqueles sotaques (especialmente o grande dragão dublado por ninguem menos que John Hurt), vendo a beleza "comum" de Arthur e Gwen ou a quase exotica de Morgana e Merlin, as florestas britanicas, as joias e detalhes de roupas e cenarios em nó celta... Mas isso tudo que pra mim só deixa a série melhor parece não ter o mesmo efeito entre o publico brasileiro que, pelo pouco que andei vendo, acha que a série poderia ter efeitos mais coloridos e atores mais bonitos ¬¬














Fazendo uma comparação meia-boca, Merlin tá pra O Mundo Perdido assim como Legend of the Seeker tá pra Moonlight. Moonlight e LotS possuem 3 ou no maximo 4 personagens principais, tem como ponto fundamental o romance dos protagonistas e um tom maior de drama sem chegarem a ser séries dramaticas. Já Merlin e TLW são britanicas (TLW era filmada na Australia mas adaptada de um livro inglês), contam com elenco um pouco maior deixando menos espaço pro romance, tem suas bases na mitologia celta (na 4ª temporada de TLW descobririamos que Marguerite era descendente da deusa Morrigan e que Veronica veio de um lugar mistico chamado Avalon) e são mais puxadas pro lado da comédia do que pro drama.

Merlin é uma superprodução britanica que assim como LotS é exibida aos finais de semana em horário família e agrada em cheio quem gosta de boas histórias de aventura e fantasia.

20.10.09

Richard/Kahlan - Apologize

Só pra lembrar do meu mais novo diretor favorito, Michael Hurst, q dirigiu 2 dos melhores episodios da 1ª temporada de LotS, Denna (esse do video) e o season finale Reckoning.

Caraca! A ultima vez q tive um diretor predileto de seriado foi em Roswell, adorava os episodios do Jonathan Frakes =)~

17.10.09

Legend of the Seeker

Há um mês atras conheci a série Legend of the Seeker mas acabei adiando esse post pois não queria soar repetitiva em relação as ótimas criticas que a série vem recebendo tanto de profissionais como de telespectadores.

Baseada na série de livros Sword of Truth de Terry Goodkind, best sellers lá nos EUA e praticamente desconhecidos aqui no Brasil, produzida por Sam Raimi e Rob Tapert (criadores de Hercules e Xena) em parceria com a Disney/ABC e filmada na bela Nova Zelandia, LotS foi recebida a principio como uma sucessora das séries de aventura e fantasia que eram moda na decada de 90 como as já citadas Hercules e Xena, O Mundo Perdido, Simbad e etc, porém acabou se mostrando mais que isso.

Além dos efeitos modernos e da produção mais elaborada, ao contrario das séries citadas acima que tinham um tom maior de comédia, LotS segue o estilo Alta Fantasia, popularizado nos ultimos anos pela trilogia Senhor dos Anéis. É claro que existem piadas e episodios comicos, como o ótimo Mirror, mas a série se concentra mesmo é na eterna batalha entre bem e mal.

Como toda boa e classica Alta Fantasia, LotS conta com heróis orfãos, magos, um exercito a serviço do vilão megalomaniaco (com o bonus da elite de domiatrixes Mord'Sith) e um romance aparentemente impossivel.

Richard Cypher é o jovem guia florestal transparente e honesto que vivia com o pai adotivo e o irmão em Hartland, uma cidade onde a magia não existe, e descobre de forma tragica ser o ultimo Seeker a surgir em 1.000 anos e a pessoa profetizada a destruir o reinado do tirano Darken Rahl com a ajuda de Kahlan Amnell, uma Confessora designada a defende-lo com a própria vida se preciso e o Mago Zeddicus Zu'l Zorander que passou os ultimos 23 anos o protegendo a distancia.

Seeker? Confessora? Seeker é "um herói que emerge em tempos de dificuldade e sofrimento para caçar o mal" sempre auxiliado por um mago como mentor e uma Confessora que age como uma especie de guarda costas. Confessora é uma mulher com o dom de hipnotizar e escravisar alguem com apenas um toque, o que acaba tornando essas mulheres temidas e respeitadas nas terras magicas de Midlands.

E então chegamos na parte que sempre me empolga: o romance.

O herói se apaixonar pela mocinha que o acompanha durante sua jornada não é nenhuma novidade, mas o que faz a diferença em LotS é que as coisas não são tão simples assim.

Claro que o fato de Kahlan ser uma Confessora é o maior impecilho já que se ela relacionar-se intimamente com alguem perderá o controle de seus poderes e confessará a pessoa, porém isso não foi problema para Kieran e Vivian, os ultimos Seeker e Confessora antes de Richard e Kahlan que tiveram um final trágico por se entregarem a paixão. E aqui entra a grande diferença e qualidade de Richard e Kahlan: suas personalidades.

Ambos sabem quão importante é a missão que tem pela frente e são totalmente comprometidos com essa missão, dispostos a sacrificar o que for preciso pelo bem maior que é livrar o povo de Midland dos desmandos de Darken Rahl. Ambos são autruistas, mais de uma vez tiveram a chance de utilizar alguma forma de magia para livrar-se do impecilho dos poderes de Kahlan e desistiram da idéia para ajudar um amigo ou resistiram a tentação em nome de um bem maior.

E como se isso já não fosse o bastante pra fazer qualquer um simpatizar com o romance impossivel entre o Seeker e a Confessora, os sentimentos de um pelo outro são tão genuinos que Kahlan não consegue sequer cogitar a idéia de Richard perder a sua 'alma' por causa dela e Richard não aceita que Kahlan se desfaça dos seus poderes, de parte dela, para que possam ficar juntos.

O resultado são grande respeito e admiração mutuos que tornam ainda mais bela a história de Richard e Kahlan.

QUOTES:

"Confess me (...) I rather be your slave than hers" - Richard

"I can't think of any worse betrail than leaving you." - Kahlan

"Love isn't something to fear, Kahlan."
"For me it is."

"Rahl was wrong when he said our fate was unimaginable. The only unimaginable fate is one without you." - Richard

"Tell him that his own Confessor never stopped loved him. And that if he can't undo the magic, if he can't return to her then, she'll be waiting for him, in the Underworld. Forever." - Kahlan

"When we first met, you told me you'd give your life for the Seeker. And that's what you did. Even when it looked like you had no hope, you loved me across time." - Richard

27.9.09

Quem conta um conto, aumenta um ponto

Do meu Top5 de séries só uma, Lost, não tem nada a ver com livros. Roswell era uma série de livros meio teen, The Lost World era um livro do Conan Doyle, Moonlight foi imaginada inicialmente por um de seus criadores, Trevor Munson, como um livro e minha mais nova aquisição, Legend of the Seeker, é baseada na série de livros Sword of Truth.

Das séries citadas acima a unica que ainda não li a versão original foi Legend of the Seeker, até porque descobri a série há pouco menos de um mês, mas uma coisa já sei que tem em comum com todas as outras: fãs ardorosos que acreditam que uma adaptação deveria levar o livro ao pé da letra. Nenhuma dessas séries ficou igual os livros, Roswell diminuiu os poderes dos aliens (nos livros eles enxergam auras entre outras coisas), O Mundo Perdido adicionou a Marguerite que não existe nos livros (e conseqüentemente adicionou também o romance Roxton&Marguerite) e Legend of the Seeker, não fugindo a regra mudou algumas coisas aqui e ali.

Sei que sou minoria mas raramente digo "o livro é melhor que o filme" e isso se deve ao fato de ter a mente aberta (talvez até demais) para novas experiências. Como a palavra mesmo já diz, se tratam de adaptações, processo onde um organismo se adequa, se encaixa ao habitat onde se encontra.

Tendo isso em mente eu acabo sempre vendo livro e filme ou série como duas coisas diferentes que se completam, como duas versões de um mesmo fato. Lembro nos meus dias de Smallville muitos fãs do Superman reclamando que aquela não era a história do Homem de Aço, que Pete era ruivo e não negro, que Lois nunca esteve em Pequenópolis e etc, mas por acaso isso mudou o fato de que Clark foi enviado de Krypton que estava explodindo para a Terra e adotado por um casal de bom coração que o ensinou a ser uma pessoa justa e honrada que mais tarde viria a ser um grande herói e benfeitor? Não. A essência, os fatos realmente importantes ficaram intactos e isso é o que importa.

Por outro lado, há um tempo atras sairam boatos de que no filme de Sherlock Holmes dirigido por Guy Ritchie haverão insinuações de algo mais que amizade entre Sherlock e Watson e isso me deixou extremamente decepcionada pois não faz parte da essência do personagem, na verdade Sherlock sempre foi tão racional e concentrado em seus estudos que chegava ao ponto de ser "assexuado". Se o filme fosse uma comédia como O Xangô de Baker Street eu não veria problema nenhum em um Sherlock gay, mas se tratando de um filme 'dramático' fica difícil de engolir pois muda características básicas do personagem, muda parte da essência do detetive mais famoso do mundo. Adaptar não é mudar, é adequar.

Existem idéias que ficam ótimas no papel e outras que ficam ótimas na tela mas nem tudo que fica bom no papel cabe na tela ou vice versa. Um bom exemplo disso são os filmes do Senhor dos Anéis. Os livros de Tolkien são extremamente detalhistas, coisa que ajudou Peter Jackson a dar vida aos hobbits e à Terra Média mas que no papel ficou muito cansativo para muitas pessoas (me incluo nessa lista, não consegui chegar à metade da Sociedade do Anel, mas gosto dos filmes). Outro exemplo são as versões pro cinema dos livros do Dan Brown, enquanto o livro Código Da Vinci parece rápido e bem compassado graças as explicações que Langdon vai dando durante a história, esse mesmo recurso deixou o filme arrastado e cansativo. Quando Ron Howard adaptou o segundo livro, Anjos e Demônios, focando mais a ação, o filme foi bem mais aceito, mesmo que mudando varias coisas em relação ao livro.

Sobre Legend of the Seeker, não posso dizer muito pois ainda não li os livros, mas pelo pouco que descobri com as comparações na internet, posso dizer que algumas coisas realmente não dariam certo na tv.

Na versão literária Kahlan é a ultima confessora viva, mas na telinha como iríamos descobrir sobre a 'maldição' dos confessores homens e o que é uma Confessora Mãe se não fosse pelo episódio centrado na irmã dela, Dennee, e as outras confessoras? Em um enfadonho monologo explicativo de Kahlan? *lol*

Nos livros Lord Rahl é pai de Richard enquanto na série eles são irmãos. Pra quem nunca leu os livros, os 2 serem pai e filho soaria como uma cópia mal feita de Darth Vader e Luke Skywalker.

Richard e Kahlan descobrem uma forma de ficarem juntos e se casam na metade da série de livros. Se logo na primeira temporada da série de tv eles ficassem juntos de vez metade da história perderia a graça.

Conclusão: não dá pra ler um filme e ver um livro. Existem coisas que funcionam em uma midia e não funcionam em outra. Adaptar não é mudar as características de um personagem ou de uma história, adaptar é tirar o que não cabe em uma midia e preencher com coisas que dão certo nessa nova 'casa'. É como fanfic, uma fic super foofy do nosso casal predileto pode fazer a gente suspirar, mas se for transportada para a série ficaria a coisa mais brega e sem graça que existe! =)~

24.7.09

Uma musica que...

me empolga: Better Now - Collective Soul

me alegra: Shine - Take That

me faz dançar: Rafe (gabin remix) - Fauxliage

me faz sorrir: Ready To Run - Dixie Chicks

me casaria: Sweet Darlin - She&Him

me entristece: Zombie - Cranberries

diz muito sobre mim: Single - Natasha Bedingfield

eu queria ter escrito: Bring It All Back - S Club 7

gostaria de acordar com: Pocketful of Sunshine - Natasha Bedingfield

gosto da letra: Angel - Corrs

gosto e é instrumental: Carraroe Jig/Joy of Life (musica tradicional irlandesa)

não foi lançada recentemente mas eu adoro: How far we've come - Matchbox Twenty

gosto e foi tema de filme: Animal Song - Savage Garden

eu gosto mas ninguem conhece: Waiting for the wheel to turn - Capercaillie

amo o clipe: Angel - Corrs

é melhor quando tocada no carro: 23 Days - SheDaisy

é melhor quando se está bem acompanhada: Closer - Dido

ouço quando estou com raiva: Flat On The Floor - Carrie Underwood

ouço quando estou triste: Under Pressure - Queen e David Bowie

estou ouvindo agora: Good Together - SheDaisy

14.7.09

novo visual

Já que ultimamente ando numa faze clean, no melhor estilo "menos é mais", nada melhor do que deixar o blog no mesmo clima =P


13.6.09

Roswell - Here With Me

Esse ano, especificamente em 6 de Outubro vão fazer 10 anos que Roswell foi ao ar pela primeira vez e como a série tem um grande significado em minha vida eu queria comemorar de alguma forma só que não sabia como, mas como diz o nome desse blog, boas coincidencias acontecem: outro dia minha mãe comentou casualmente que aqui na nossa cidade não se encontra o molho de pimenta Tabasco e imediatamente eu me lembrei de Roswell (quem conhece a série sabe porque *lol*)

Desde que soube que o seriado havia sido inspirado na série de livros Roswell High eu quis ler os livros só que eles não existem no Brasil e naquela época e-books eram uma distante realidade mas há uns 2 anos atras consegui os livros em inglês porém nunca tinha tempo pra lê-los. Na verdade eu até poderia ler num aparelhinho de mp4 no meio da rua, mas queria fazer como quando assistia aos episodios: sossegada e concentrada no meu cantinho predileto da casa. Então finalmente esse ano consegui arranjar esse tempo livre pra poder ler os livros que tanto quero ler há quase 8 anos... justamente quando a série completa uma década de existencia =)~

Além das boas lembranças guardadas junto com as fitas de video onde gravei a série e de bobagens adolescentes como comprar um vidro de Tabasco só pra comer com chocolate como Max, Isabel, Michael e Tess faziam, devo muito do que sei hoje àquelas noites na frente da tv e madrugadas na frente do pc enfurnada no FanForum comentando o episódio do dia e rindo das palhaçadas que o Brendan (Michael) e a Majandra (Maria) faziam quando resolviam aparecer pra postar no forum também.

Foi com Roswell que descobri o que era ser shipper, que conheci as fanfics e comecei a escrever, que melhorei o meu inglês lendo fics estrangeiras com um dicionario inglês/português do lado, que me meti pela primeira vez numa campanha pró algo (fato pelo qual me orgulho toda vez q vejo outros fãs se inspirando na Campanha do Tabasco pra tentar salvar seus shows -Moonlight com doações de sangue pra Cruz Vermelha, Veronica Mars com barras do doce Mars Bars, Jericho com os amendoins...), foi com Roswell que aprendi a usar a internet, que criei meu primeiro, tosco e extinto blog e que descobri a Dido, só pra citar algumas coisas. Até Lost comecei a ver por causa de Roswell, graças a Emilie de Ravin! *lol*

E a melhor coisa de começar a ler os livros Roswell High tanto tempo depois de ver a série não é o fato de descobrir que nos livros o Max é loiro de olhos azuis mas a oportunidade de ver tudo aquilo que eu um dia soube de trás pra frente com outros olhos, ver tudo aquilo que eu vi na adolescencia agora com olhos de adulta e constatar que definitivamente as horas e horas que passei me dedicando a aquele programa não foram em vão, pelo contrário, me são de muita serventia e motivo de orgulho até hoje ^_^

23.5.09

Em tempo algum teve um tranquilo curso o verdadeiro amor

Ok, indo direto ao ponto: Suliet começou, terminou e eu ainda não entendi como as pessoas compram tão rápido uma idéia por mais WTF que seja, principalmente em Lost. Gostar de Sawyer&Juliet é normal mas daí se esquecer de todas as 4 temporadas passadas e achar que os dois viveriam felizes pra sempre já é um pouco ilusório pois a ênfase da série sempre foi em Kate&Sawyer, coisa comprovada em WHH quando deixaram claro que Kate se manteve apegada à memória de Sawyer nos 3 anos que passou fora da ilha. 

A situação de Juliet-Sawyer-Kate-Jack na verdade é pra lá de clichê nas histórias de romance e por isso mesmo bastaria ter alguma intimidade com romances (desde os clássicos de Shakespeare aos baratinhos de banca de jornal) pra perceber logo de cara o destino de Suliet. 

É curioso como ninguém imaginou q Juliet fosse morrer por amor tendo o nome que tem, tendo uma história parecida com a de sua xará Julieta, se apaixonando por um inimigo (ou ninguém mais se lembra que no começo da série Losties e Outros eram inimigos mortais?) e tendo D&C dito varias vezes que os nomes não são dados por acaso. A questão é que eu sempre achei que ela morreria pelo Jack e não pelo Sawyer, mas a ordem dos tratores não altera o viaduto, certo? *lol* 

E já que estamos falando de Shakespeare, vale lembrar as desventuras de um dos seus quadrados amorosos mais famosos: Lisandro, Demetrio, Helena e Hermia de Sonho de Uma Noite de Verão. Hermia amava Lisandro mas era prometida de Demetrio por quem Helena era apaixonada. Sabendo dos planos de fuga de Hermia e Lisandro, Helena avisa Demetrio acreditando que assim ganharia a sua afeição como agradecimento mas Demetrio sai a procura dos dois amantes fujões e Helena o segue devotadamente. Em determinado momento Oberon, rei das fadas, vendo Demetrio tratar mal Helena ordena a uma de suas fadinhas que coloque uma poção do amor nos olhos de Demetrio para que ele se apaixone por Helena mas a fadinha se confunde e coloca a poção nos olhos de Lisandro que se apaixona por Helena. Oberon, irado com o erro da fadinha, enfeitiça Demetrio e assim os dois homens passam a brigar pelo amor de Helena ao invés do amor de Hermia. Depois de muita confusão o feitiço é retirado de Lisandro que volta para Hermia, mas não é tirado de Demetrio para que ele possa corresponder ao amor de Helena. 

Essa peça é uma comedia, mas prova como quadrados amorosos não são invenção exclusiva de Lost e apesar de complicados não são tão difíceis de prever o final. Outro exemplo ainda de Shakespeare é a também comédia Noite de Reis, com o quadrado Olívia-Sebastian-Orsino-Viola.   

Voltando à Romeu&Julieta, ops, Sawyer&Juliet: com ela tendo um passado tão infeliz em relação ao amor (Burke, Goodwing, Ben, Jack), sabendo que ele no fundo nunca havia esquecido um certo amor do passado (Kate, não Cassy!) e não tendo uma função tão importante na série quanto os Losties originais –alias vocês notaram como todo mundo tá morrendo pra sobrarem só os personagens da 1ª temporada?- era difícil de imaginar que Juliet fosse sobreviver. Eu preferiria que ela voltasse pra sua irmã e seu sobrinho mas lá no fundo sempre tive essa impressão de que a sina dela seria morrer por amor. 

É claro que D&C queriam que as pessoas comprassem Suliet como um bom casal, só que um bom casal estilo os casais de FBs que tiveram uma grande importância na vida dos personagens mas não tiveram happy ending, como Sayid&Nadia, Locke&Helen, Jack&Sarah... e ironicamente Suliet foi mesmo um casal de FB já que estavam nos anos 70 e agora a turma vai voltar pro anos 2000.