18.3.08

Fanboys vs Fangirls

Mais de uma vez já ouvimos Carlton Cuse dizer que o titulo “Lost” não se refere exatamente ao fato daquelas pessoas estarem perdidas numa ilha, mas sim de estarem perdidas e confusas em suas próprias vidas antes de caírem ali na ilha. Sendo assim, podemos presumir que um dos pontos principais da mitologia da série é a evolução (ou não) dos personagens, a tão falada redenção.

Bom, se esse é um dos pontos centrais da estória, porque ele é tão ignorado e até mesmo menosprezado? Recentemente corre uma enquete no site Séries Etc perguntando “O que você mais gosta de ver em 'Lost'” e o resultado até o momento está assim:

A evolução dos personagens.....13%
.
As tramas envolvendo a saída
da ilha, os Outros e o navio....31%
.
Os mistérios da ilha........56%
.
Ok, os mistérios são intrigantes. Mas o que seria deles sem a interação dos personagens?
.
Muitos reclamam de que Sawyer ou Locke estão mudados, mas oras bolas, isso era o mínimo que se poderia esperar depois de tudo que eles passaram nos últimos 3 anos e meio de série! E ainda podem mudar mais, pois temos a 5ª e a 6ª temporadas pela frente. Será que muitas pessoas reclamaram do quanto Ross, Mônica e cia mudaram ao longo dos 10 anos que Friends foi ao ar? O tempo passa e as pessoas mudam, isso acontece na vida real e nas séries também, até mesmo em CSI onde a trama de um episodio é distinta da outra.
.
A questão é que em Lost isso faz toda a diferença. Se pararmos pra dar uma segunda olhada vamos notar que os mistérios de Lost são apenas o pano de fundo pra contar a vida dessas pessoas e não o inverso. Não era a fé de Locke que iria matar o Boone, mas a morte do Boone que iria testar a fé de Locke. Parece uma simples troca de palavras, mas na verdade isso muda completamente a forma de se ver as coisas. É preciso compreender o que Locke já passou na vida pra entender o porquê dele agir como agia quando caiu na ilha e entender como os acontecimentos posteriores o afetaram transformando-o no que ele é hoje. E a mesma coisa vale pra todos os personagens, de Jack a Charlotte.
.
Na sede de se mostrarem espertos ou sabichões muitos fãs se esquecem da essência de Lost: o impacto que essa experiência insólita terá naquelas pessoas que estão perdidas na ilha e em suas vidas. À procura de uma teoria perfeita, os fãs acabam ‘igualando’ todos os personagens quando na verdade uma coisa pode se aplicar ao Desmond mas não ao Jack, por exemplo.
.
Hoje já sabemos da questão do tempo, mas nem todos os personagens são ou serão afetados como Desmond porque aquela é a estória do Desmond e só dele. A forma como Jack será afetado é diferente da forma como Sayid será afetado, que é diferente da forma como Hurley será afetado e assim por diante.
.
É difícil fazer essa separação e assistir a 15 estórias diferentes ao mesmo tempo, mas é isso que acontece em Lost: cada um daqueles personagens tem seu passado, seu presente, seu futuro, suas crenças, seus medos, suas qualidades e seus defeitos e essas características vão fazer uma grande diferença no resultado final da estória pra cada um deles.
.
É triste ver tantas pessoas ligando tão pouco para a parte mais interessante de Lost e é mais triste ainda ver o quanto essas pessoas subestimam e menosprezam nós shippers, ou como eles gostam de chamar, as “fangirls”, pois é comprovado que prestando atenção aos personagens fica muito mais fácil de se compreender qualquer série como um todo, inclusive Lost!

3 comentários:

Arineide disse...

Nossa Leanna...
Eu não poderia ter dito melhor...
Concordo contigo em gênero, número e DEgrau...

Todo mundo só quer saber dos mistérios quando o que os produtores mais querem mostrar são os personagens, a história passada deles e a evolução que eles terão...
Tanto é que os produtores sempre disseram que Lost não é somente sobre os mistérios, Lost é sobre pessoas...

Texto perfeito honey...como sempre ^^
Parabéns...

Anônimo disse...

Concordo plenamente com vocês! Adoro o Carlos do lost in lost, adoro o "dude" também, mas acho que na verdade essa coisa de rotular shippers de "elas se preocupam com o que menos importa na trama" é balela. Me parece que existe um certo medo no mundo masculino em tratar certos assuntos sabe? Poxa, como a Leanna colocou, essa parte da trama é tão importante como as demais e amarram as trama. Se não fosse assim não teriamos tanta interação com os personagens.

Um abraço amiga.

P.S: Faço apenas um pedido: escreva mais no seu blog pois acompanho muito você e suas idéias.

Beijão

Adriana

Servidores disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.